top of page

Qualidade x quantidade de óvulos


A reserva ovariana da mulher, ou seja, a quantidade de óvulos que ela terá disponível ao longo da sua vida reprodutiva, já está estabelecida desde o momento de seu nascimento. As meninas nascem com, aproximadamente, um a dois milhões de óvulos. Após a menarca, centenas destes começam a se perder, a ponto da reserva ovariana diminuir para 500 mil ovócitos já na pré-adolescência.


Ao longo dos anos e, portanto, dos ciclos menstruais, muitos óvulos vão se perdendo. A partir dos 35 anos, a queda é bem maior, o que faz da idade o fator mais importante da fertilidade da mulher. A reserva ovariana fica ainda mais baixa quando a mulher chega aos 40 anos, até se esgotar por completo na fase da menopausa.


Sobre a qualidade


Em geral, a qualidade dos óvulos também sofre grande impacto após os 35 anos. Mas isso não quer dizer que todas as mulheres vão ter piora na qualidade oocitária somente a partir desta idade. A qualidade dos óvulos está relacionada principalmente às suas características morfológicas e de saúde cromossômica. Se sabe, por exemplo, que mulheres com Síndrome dos Ovários Policísticos podem apresentar óvulos de qualidade inferior devido à patologia.


Ter uma boa reserva ovariana não é sinônimo de boa qualidade dos óvulos. Óvulos são células (as mais importantes do sistema reprodutor feminino) que precisam ser geneticamente saudáveis para resultar em qualidade. O envelhecimento afeta a estabilidade genética dos óvulos. Por isso, quando as mulheres se aproximam dos 40 anos há maior chance de conceber bebês com alterações genéticas. 

Kommentare


Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
bottom of page