Reprodução Assistida para casais sorodiscordantes

Algumas doenças podem ser transmitidas nas relações sexuais, como Hepatite B, Hepatite C, Aids e o vírus do HTLV, por exemplo. Assim, quando um dos parceiros é portador de algumas dessas condições, o uso do preservativo impede que a doença seja transmitida ao companheiro – mas também impossibilita a gravidez. Estes casais que desejam ter filhos podem se beneficiar com os tratamentos de reprodução assistida para conceber um filho minimizando a transmissão destas doenças para o bebê ou para o parceiro saudável.

 

Programando a gestação

A consulta com médicos de reprodução humana é orientada para o aconselhamento reprodutivo, com a finalidade de programar a gravidez no momento em que as condições de saúde da mãe sejam as mais favoráveis e minimizem o risco da transmissão vertical, ou seja, a transmissão do vírus da mãe para o bebê.

Independente se o infectado é a esposa ou o marido, para a realização do tratamento para engravidar, o paciente que tem o vírus precisa estar com a doença estabilizada (carga viral) e sem doenças oportunistas, com acompanhamento integral do seu infectologista.

 

Tratamento para quando o homem tem o vírus

Para o casal sorodiscordante que decide tentar a gravidez, sendo ele o portador de um vírus sexualmente transmissível, pode ser aplicada uma técnica de lavagem do esperma.

Como funciona: primeiramente o homem coleta o esperma por masturbação. Depois de realizada a lavagem do esperma para separar os componentes que estão infectados com o vírus e os espermatozóides, um concentrado de espermatozoides é introduzido no útero da mulher durante seu período fértil (processo conhecido como Inseminação Intrauterina).

Tratamento para quando a mulher tem o vírus

No caso de ser a mulher a portadora do vírus em questão, é importante que, além do infectologista, ela seja permanentemente acompanhada pelo seu ginecologista e programe a gestação previamente.

Como funciona: o mesmo procedimento é realizado para ambos os casos. O parceiro coleta o sêmen em laboratório, por masturbação. Após a obtenção da amostra, é realizada a lavagem do esperma para separar os componentes que estão infectados com o vírus e os espermatozóides e posteriormente é realizada uma Inseminação Intrauterina na mulher.

Em relação especificamente às mulheres com HIV, é importante lembrar que se os cuidados e tratamentos durante a gestação não forem adequados, o risco de transmissão do vírus para o bebê é de 15% a 20%. Com um acompanhamento pré-natal contínuo e uso de medicamentos, o risco de transmissão vertical (da mãe para o feto) é de menos de 1%. Além disso, antes de engravidar, a mulher deve ser informada sobre os riscos associados ao uso destes medicamentos contra o HIV.

Quando cada parceiro é infectado por um vírus diferente

Nesta situação é indicada a realização de uma Fertilização In vitro, após a lavagem do esperma para separar os componentes que estão infectados com o vírus e os espermatozóides.

 

Sorodiscordantes + infertilidade

Caso o casal também tenha sido diagnosticado com algum fator de infertilidade, talvez seja necessária a realização de uma Fertilização In vitro ou Fertilização In vitro com ICSI.

*Estas informações são apenas para um conhecimento geral a respeito do procedimento com o intuito de entendimento leigo e não podem ser consideradas como uma consulta médica. Só o seu médico pode indicar o tratamento de escolha para seu caso específico.

Tratamentos

©  Conception Centro de Reprodução Humana.

Caxias do Sul  (54) 3534.8195 - 3419.7151    |    Chapecó  (49) 3329.3169   |   Porto Alegre  (51) 3222.1725

  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon