8 dicas para otimizar a fertilidade




Durante as tentativas para engravidar, 15% dos casais descobrem que são inférteis. Vários são os fatores que influenciam na capacidade da concepção de um bebê. Já que junho é o Mês de Conscientização da Infertilidade, separamos 8 dicas que interferem na fertilidade e que podem otimizar as chances de gravidez.


IDADE

As chances de gravidez reduzem gradativamente conforme a idade, para ambos os sexos. Entretanto, a idade da mulher é um fator muito decisivo. Para elas, a probabilidade de conseguir engravidar diminui após os 35 anos. Já para os homens, os efeitos mais evidentes são detectados após os 50 anos.


FREQUÊNCIA DE RELAÇÕES SEXUAIS

Pesquisas apontam que a chance de gestação aumenta quando as relações sexuais ocorrem em dias alternados.


JANELA FÉRTIL

Para as mulheres com ciclo regular, a probabilidade de engravidar é maior após o término da menstruação até o dia da ovulação – a chamada janela fértil.


MONITORAMENTO DA OVULAÇÃO

Mulheres que desejam engravidar podem monitorar o seu ciclo e prever o momento da ovulação. Há aplicativos que podem ajudar com isso.


ROTINAS PÓS COITO

Alguns casais acham que o ato de levantas as pernas da mulher por um período logo após o término da relação sexual vai impedir o vazamento do sêmen e facilitar o transporte do espermatozoide.

Entretanto, não há evidência científica que comprove que este hábito aumenta as chances de o casal engravidar.


DIETA

Os alimentos nutritivos estimulam a saúde e maturação dos óvulos, bem como a qualidade dos espermatozoides. São eles:

- Verduras e frutas;

- Fibras (farinha de banana verde, batata Yacon);

- Tubérculos (aipim, inhame, batata doce);

- Cereais integrais (aveia, arroz integral);

- Gorduras boas (azeite de oliva, castanhas, nozes, amêndoas...);

- Proteínas (ovos caipiras, peixes de pequeno porte).


SUPLEMENTOS ALIMENTARES E ANTIOXIDANTES

Vitamina C, vitamina E e coenzima Q10 podem trazer benefícios, mas existem poucas evidências que suportem o benefício ou o dano do uso de antioxidantes. Quanto à vitamina D e sua relação com a função reprodutiva, os estudos são limitados.

O estresse oxidativo – quando os níveis de antioxidantes não são altos o suficiente para neutralizar os efeitos dos radicais livres – pode estar relacionado aos casos de infertilidade.


MEDICINA COMPLEMENTAR E ALTERNATIVA

Mesmo que não existam estudos com alto nível de evidência, várias são as técnicas de medicina complementar e alternativa para melhorar a fertilidade. Entre elas: acupuntura, trabalho corporal, cura energética, medicamentos fitoterápicos e yoga.

Esses recursos podem auxiliar principalmente no estado geral dos indivíduos e na redução dos efeitos do estresse. ⠀


Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags